Preparando a viagem

11 dicas de Orlando para você aproveitar ao máximo sua viagem

dicas de orlando

Você está planejando sua viagem e precisa de algumas dicas de Orlando? Separamos as principais questões que você precisa saber para aproveitar ao máximo sua viagem.

1 – É indispensável alugar carro?

Orlando é uma cidade grande, espalhada e deficitária em transporte público. Mesmo assim, nossa experiência de muitas idas a Orlando mostra que, com planejamento, é possível reduzir os gastos com carro alugado. O segredo é dividir seu período na cidade em dois. Metade da temporada você dedica à Disney: fique num hotel dentro do complexo e use o monotrilho e os ônibus internos, gratuitos. Na outra parte da viagem, fique na International Drive ou no complexo Universal, para curtir esse resort e o Sea World, comprar nos outlets e passear em Downtown Orlando. Aí sim, com carro alugado.

alugar carro em orlando

 

2 – Como escolher o hotel?

A dica de ouro: associar a localização da hospedagem aos pontos que você quer visitar.

Tanto a Disney quanto a Universal têm hotéis econômicos, médios e luxuosos, e suítes familiares que reduzem bem o valor gasto com hospedagem. As vantagens de ficar dentro dos resorts são poder entrar nos parques mais cedo que o restante do público e contar com algumas facilidades de transporte.

A International Drive é mais central para passeios fora dos parques, compras e restaurantes gastronômicos, como os do Pointe (no número 9.101) e outros espalhados pela avenida.

Fanáticos por algum personagem ou brinquedo encontram opções temáticas – o Hotel Legoland, a 45 minutos de Orlando, é um ótima opção. Por fim, Downtown e Winter Park são áreas para curtir uma Orlando mais, digamos, adulta – só valem a pena para quem pretende ir pouco aos parques e focar restaurantes, compras e cultura.

hotel em orlando

 

3 – Vale a pena alugar uma casa? Como é a negociação, em português?

Aluguéis de temporada são permitidos nas áreas de Lake Buena Vista e Kissimmee, ao sul de tudo que você quer ver em Orlando (o carro alugado será indispensável, pense em distâncias de 15 – 40 minutos de qualquer parque). As casas são de todos os tipos, das econômicas às superluxuosas localizadas em condomínios com estrutura de resort.

Sites como o AirBnB.com e o Tripadvisor.com.br/Rentals têm opções. Para quem prefere ter contato com um consultor e atendimento em português, uma opção é procurar brasileiros que possuem imóveis para locação. Já ficamos em alguns como o Férias com o Mickey é aqui e indicamos de olhos fechados!

alugar casa em orlando

 

4 – Qual o tempo mínimo é recomendado em Orlando?

É claro que a resposta para esta questão depende de inúmeras variáveis como perfil e números dos viajantes, idade, tempo e recursos disponíveis. O ideal seria pelo menos 10 dias para fazer tranquilamente Universal, o complexo Disney, compras de 3 a 4 dias, Sea World, e ainda poder ir ao Disney Springs.




5 – Além dos parques, quais são os outros passeios em Orlando?

A novidade na cidade é o I-Drive 360, na International Drive. O complexo de lazer foi construído ao redor da Orlando Eye, roda-gigante de mais de 120 metros e 30 cabines para 15 pessoas cada. Há uma unidade do museu de cera Madame Tussauds, o aquário SeaLife, um museu dedicado a esqueletos de várias espécies e opções para comer e beber.

Em Downtown Orlando, a arena Orlando Citrus Bowl, casa do time de futebol Orlando City, do brasileiro Kaká, acaba de passar por uma reforma completa e abriga, além de jogos, shows musicais. Outro centro de espetáculos por ali é o também Dr. Phillips for the Performing Arts, com shows da Broadway, ópera, música clássica e pop. Aos domingos, o Lake Eola Park e o Winter Park abrigam uma feira de produtores locais.

Winter Park, ao norte, é uma cidadezinha de ruas calmas e mesas na calçada, para andar a pé e ver a vida passar. O Wine Room serve centenas de opções de vinho em taça e o museu Morse exibe criações de Louis Comfort Tiffany, filho do fundador da joalheria.

Ótimo lugar para ir apreciar boa comida, vinhos, uma arquitetura européia e até um passeio de barco pelos 3 lagos, onde podemos ver diversas mansões de politicos e esportistas americanos.

Winter-Park

 

6 – Como, quando e onde comprar ingressos para os parques? Há pacotes com descontos?

Geralmente, a grande vantagem de comprar de operadoras no Brasil é a possibilidade de parcelar. Você pode comprar também diretamente nos parques ou até mesmo pelos sites dos mesmos. Há ainda algumas opções interessantes como o de 14 dias ilimitados nos 2 parques da Universal (você vai quantas vezes quiser dentro dos 14 dias). Já os da Disney possuem pacotes para todos os parques.

Não há necessidade de comprar com muita antecedência, nunca irá esgotar.

 

7 – É preciso saber inglês?

Em Orlando vivem muitos latinos, por isso, arriscar-se no portunhol pode ajudar. Também é possível encontrar trabalhadores brasileiros. Na Disney, muitos funcionários falam português, há mapas em português. Na identificação, os funcionários carregam bandeirinhas que mostram os idiomas que cada um fala. Nos “guest relations” dos parques e resorts, você consegue pedir ajuda de tradutor por telefone.

Além disso, tanto o Visit Orlando quanto os três principais grupos de parques (Disney, Universal e SeaWorld) têm sites no nosso idioma. Os Premium Outlets mantêm página em português; e algumas lojas têm atendentes que falam a língua.

 

8 – Onde posso fazer compras?

Orlando é muito procurada – com razão – pelos descontos oferecidos em seus outlets (nos Premium, vão de 25% a 65%), mas não se restringe a eles. Shoppings, como The Mall at Millenia e Florida Mall, oferecem em torno de 1 mil lojas, restaurantes e pontos de entretenimento.

Mesmo dentro dos parques, lojas temáticas esperam os visitantes nas saídas dos brinquedos. Na Universal, restaurantes e lojas, como a NBA City (que junta os dois), concentram-se na CityWalk, de livre acesso.

Há ainda, alguns outlets menores como o Pointe Orlando na International Drive que tem a Tommy Hilfiger Clearance (a mais barata de todas).

Existem também as lojas de departamento como a Ross, T.J. Maxx, Burlington e muitas outras que possuem preços de ponta de estoque. Falamos um pouco mais delas aqui ó.

outlet orlando

 

9 – Quero tirar fotos com personagens, como fazer?

Muitos dos principais personagens circulam pelos parques durante o dia – Mickey, Minnie, Pluto e Pateta na Disney, os Minions e os Simpsons, Homem Aranha, Capitão América na Universal. Há atrações cujo objetivo central é a sonhada foto, como a narração de histórias Contos Encantados com Bela, a Gruta de Ariel e o Hall das Princesas, no Magic Kingdom. No show de Madagascar, no Busch Gardens, é possível posar com o Rei Julien.

Outra alternativa é agendar uma refeição com personagens, disponíveis em 18 espaços pelo complexo Disney. Tem até Mickey Jedi. No Chef Mickey’s você espera sentado em sua mesa que os personagens vem até você. Vale muito a pena!!!

Fotos-com-personagem-Disney

 

10 – Quanto vou gastar?

Claro que vai depender do seu perfil e estilo de viajar. Os valores aqui indicados são os mínimos, sem taxas. Pacotes com aéreo e hospedagem começam em R$ 1.600 no Hotel Urbano e R$ 3 mil na CVC, por pessoa, uma média de 7 noites. Hotéis custam, em média, entre US$ 70 e US$ 500 por diária.

Nos parques Universal, o valor do ingresso individual é de US$ 102 (cada parque); na Disney, de US$ 97 a US$ 105 por parque. Para Sea World e Busch Gardens, começa em US$ 90. E Discovery Cove, o parque mais caro de Orlando, custa desde US$ 243, com refeições.

Quanto aos gastos diários nos parques, gasta-se de US$ 25 a US$ 30 por pessoa, por dia. Já em relação ao carro alugado, é possível encontrar opções desde R$ 400 por sete dias, sem GPS.

 

11 – Há refeições que não sejam fast-food? Vou encontrar comida para meu filho pequeno? Posso levar aos parques?

A resposta para as três perguntas é sim. Pode-se levar desde um sanduíche na mochila até uma marmita para os menores.

Nas praças de alimentação há refeições mais balanceadas. Existem até restaurantes com menus para crianças alérgicas nos parques.

Há uma gama de restaurantes de preços intermediários como os chamados quick services, que vendem comida, peixe, sanduíches de atum e salmão (entre US$ 15 e 20). Os table services são à la carte, com garçons.

No quesito novidades, a área de Disney Springs, há o The Boathouse que é um galpão todo de madeira, típico da década de 1920, com lugares para até 600 pessoas, decorado com barcos datados de 1930 a 1950. Das janelas voltadas para o lago pode-se observar os táxis aquáticos e os carros anfíbios (amphicars) que circulam pelas águas. Sim, você pode dar uma volta. No cardápio, o Beach & Sea Lobster Bake (US$ 60), com mariscos, mexilhões, batata e espigas de milho, é uma boa pedida. Ou peça um suculento filé mignon por US$ 39. No Magic Kingdom está o Be Our Guest. Afrancesado, fica dentro do castelo da Fera – as mesas estão no salão onde a assustadora criatura dança com Bela.

Para quem sente falta de comida brasileira, na International Drive estão o Camila’s (camilasrestaurant.com), que oferece um bom feijão com arroz, e a Fogo de Chão, com o legítimo churrasco gaúcho (fogodechao.com.br/orlando).

 

Conseguimos tirar um pouco de suas dúvidas? Caso tenha alguma ainda, escreva pra gente nos comentários! 😉

Sobre o autor

Redação Orlando Terapia

Redação Orlando Terapia

O Orlando Terapia nasceu depois de uma viagem para Orlando mas essa paixão pela cidade nasceu muito antes! Decidimos compartilhar tudo que sabemos e também o que descobrimos fuçando por aí.

Esse é o Orlando Terapia, um local onde você vai encontrar novidades e dicas de todos os Parques mas também um pouco das outras coisas que fazem essa cidade tão especial!